sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A Diarista

Minha mãe sempre trabalhou fora e eu cresci tendo “empregadas domésticas”.
Nunca vi minha mãe reclamar “isso aqui” delas.
Não entendo, agora que eu cresci e conquistei, após muito trabalho, o direito de ter a minha própria ajudante do lar, não passo um diazinho sequer sem reclamar!
Outro dia saí de casa pela manhã e disse:
“Dona Vera, por favor, limpe bem a sala, pois o pessoal vem jantar em casa; não precisar lavar roupas hoje.”
Aí, cheguei do trabalho, já quase anoitecendo, porque tive que passar no supermercado; mal pisei os pés dentro de casa e vi um bilhete em cima da pia.
“Dona Cecília, hoje num deu pra fazer todo o serviço, tive que saí mais cedo, pois o Edicleyton meu neto caiu e quebrou o dentinho, mas fique tranqüila, pois eu lavei toda a roupa pra Senhora.”
Respirei fundo, coloquei a bolsa em cima da mesa, tirei os sapatos, o colar... os brincos de argola, os anéis.... joguei na mesinha as correspondências que estavam no portão.
Peguei novamente o bilhete e li pela segunda vez.
Será que a Dona Vera é de outro planeta e eu não sabia? Será que existe algum tipo de doença tipo aquela em que as pessoas confundem o vermelho com o amarelo? Daltônicas?
Sim, porque seria a única explicação para isso.
Acho que a D. Vera é “nãotônica”
Não sabe a diferença entre o sim e o não.
Certeza.!
Não...
Não é isso.
Eu sei o que é. É que elas sempre “acham melhor” alguma coisa.
“É que como fez sol hoje e a Senhora tinha um monte enorme de roupas sujas, eu achei melhor lavar, você viu que secou tudo?”
“É que eu achei que a sala não estava muito suja, então eu resolvi lavar a roupa porque o seu Antonio já está ficando sem cuecas pra usar”!
“É que eu achei melhor aproveitar para lavar toda a roupa, pois amanhã eu já passo tudo de uma vez”.
É que eu achei melhor isso eu achei melhor aquilo... blá, blá, blá.
Ela ainda vai querer me convencer de que foi melhor lavar a roupa do que limpar a sala...
E o pior é que ela lavou, junto com uma toalha, na máquina, o meu tapetinho do banheiro que solta mais pêlos que uma ovelha.... Minha vontade era GRITAAAARRR!!!
Enfim, respirei fundo (pela 2ª vez) e fui descarregar o carro.
Guardei tudo, cada coisa no seu lugar. Lavei todas as frutas, arrumei tudo na geladeira e fatiei a melancia. (se não ninguém come).
Fiquei no mínimo uma hora fazendo tudo isso.
Passei uma vassoura na sala, organizei as almofadas...
Voltei para a cozinha.
Arrumei a mesa. Coloquei tudo de forma organizada... bebidas, aperitivos, cesta de pães, guardanapos....
Fiz macarrão com bife à milanesa.
Demorei um século para fritar todos os bifes.
(Nunca mais farei bifes à milanesa).
A essa altura todo mundo já havia chegado.
Cerveja, vinho, caipirinha de saquê.....
Pratos na mesa, talheres, copos, taças,.....
Todo mundo falando, comendo e bebendo ao mesmo tempo.
Alguns só bebendo, é verdade.
Uma bagunça!!!
Crianças com a mão lambuzada... salgadinho pisoteado no tapete....
A pia estava escondida de baixo de uma montanha de pratos, panelas e travessas....
No dia seguinte, já no trabalho (de ressaca) fiquei lembrando da bagunça que havia deixado.
Será que a D. Vera foi hoje?
Não conseguia me concentrar. Pois sabia o que me esperava.
Arrepiava-me os cabelos só de pensar na quantidade de louça suja... fora o chão imundo!!!
Porque sempre tem alguém que derruba alguma guloseima e vem outra pra pisar em cima.
Socooooorro!
Jesus, será que a D. Vera foi?
De volta pra casa, entrei pisando leve como se a casa pudesse me ver chegando. Como se tivesse me escondendo de não sei o quê.
Abri a porta.
Ah....Tudo limpo.
A sala impecável.
As cadeiras estavam de volta, cada uma no seu lugar.
O chão um brinco, não se via um fandangos pra contar história.
A cozinha arrumadinha. A louça toda limpa e no seu lugar... banheiros.... quartos... tudo em ordem.
Hum....depois de um dia de trabalho nada melhor do que cheiro de casa limpa...
Isso sem falar nas minhas roupas limpas e passadas e o cachorro alimentado.
Estou no paraíso. Não sobrou um pratinho pra eu lavar. Posso deitar no sofá e assistir a novela das 6h!!!
Sem culpa.
É... acho que agora entendi porque minha mãe nunca reclamou!
Reclamou? Quem? Eu?

NUNCA.

3 comentários:

Anônimo disse... [Responder]

Ai, ai, e eu que mandei minha empregada ontem!!! Será que vou me arrepender? rsrs

tatiane disse... [Responder]

kkkkkkk... ótima!!
Tô até com pena que não pensei em escrever sobre isso antes. Pra mim, empregada doméstica é esposa de pedreiro. E não é por preconceito que digo isso. É pq eles são os trabalhadores mais folgados do planeta. Tanto que, a gente reza para eles não terem faltado, não fazerem corpo mole e executar o serviço que pedimos.

Nunca vi alguém q fanta tanto, ou sai mais cedo, porque o neto/filho/sobrinho/irmã ou ela mesma tá com algum "pobrema".

Agora vc veja, na época em que tínhamos empregada em casa, lembro de uma vez que procurei por um mês um óculos de sol que eu tinha pago o olho da cara. Eu perguntava pra ela, que dizia não saber onde estava. Desisti e comprei outro. Quando chegou o inverno, achei o óculos dentro de uma caixa de bota. Lugar perfeito pra guardar, não?

Agora temos apenas faxineira. Sendo que a nova, me contou sábado que não conseguia almoçar direito pq tava de ressaca e "virada" da balada da noite anterior (detalhe, casada, com quato filhos). Ainda me conta assim... na lata!!!

Não, eu tenho certeza... elas são de outro planeta! Não é possível! kkkk

Cynthia Santos disse... [Responder]

ahahahaaha Gente, empregada é tudo igual, só deve mudar o endereço! Outro dia falei para a minha colocar as toalhas de banho no sol, porque fazia dias q só chovia e estavam todas úmidas... cheguei e a toalha continuava no mesmo lugar!!

Mas vc acha que briguei com ela? Nunca! Ruim com ela, pior sem ela, benhe...















LinkWithin

Related Posts with Thumbnails