terça-feira, 10 de novembro de 2009

Meu Divã

Hoje uma colega de trabalho recebeu uma notícia muito ruim do falecimento de sua avó, a quem ela estimava muito. Foi muito triste. E isso me fez pensar sobre coisas, em especial sobre meu comportamento diante de certas situações, por isso resolvi vir aqui para dizer que eu já fui emoção. Aliás eu era pura emoção, sabia? Chorar, por exemplo, fazia parte da minha vida. Chorava por tudo...chorava na escola, no parquinho, em casa... Chorei até quando um professor resolveu ler minha redação em voz alta para toda a classe e, pazmem! chorei até na apresentação final na minha monografia na faculdade. Até os 20 e poucos anos eu ainda chorava... menos, mais ainda chorava. Se bem que quando meu cachorro morreu eu não me lembro de ter chorado.
E daí por diante, conforme o tempo foi passando as minhas lágrimas secaram.
E hoje aos 30, choro menos ainda, quase nada, principalmente na frente de outras pessoas. Se choro em filmes? Sim, sim, claro, mas isso não conta. Na frente da televisão é outra história.
É engraçado como o tempo vai passando e vamos percebendo no que nos tornamos, ou em quem nos tornamos. Percebemos que as experiências que inundaram nossa existência ao longo da vida nos deixaram marcas. Se sobrou algo daquela menina doce e chorona?
Não sei. Às vezes me surpreendo com minha própria frieza. Defesa? Não...não diria defesa. Diria..... frieza mesmo.
Mas eu sou sensível, também. Às vezes até consigo ser amorosa. Sou carinhosa sim, pode acreditar.
Mas na maioria das vezes sou fria... Não sei explicar e não sei se você está me entendendo. Entende? Às vezes também sou um pouco sempre contraditória, de vez em quando.
Apenas não sei, ou não quero, demonstrar, mas de forma consciente, meus sentimentos.
Às vezes acho que eu nem os tenho!!!
É sim. Às vezes eu não tenho sentimentos. Não por uma pessoa, mas por fatos da vida, entendeu?
E acima de tudo não sei dizer coisas sensíveis. Meus Deus como eu não sei!
Definitivamente não sei consolar uma pessoa. Não choro quando é real, entendeu? Meus olhos até tentam e se enchem de lágrimas, mas imediatamente eu me corrijo. Não por nada, não que eu seja orgulhosa e coisa parecida. Simplesmente porque as coisas dificilmente me parecem tão cruéis. E é triste não achar nada cruel....
Um dia fiquei com ódio do meu computador no trabalho e fui chorar na sala dos fundos. Mas fui “pega” por um colega. O que eu senti? Ódio. Mais ódio ainda. Ódio por estar ali com ódio. Por ter sido desmascarada. Por ter sido descoberta.
Engraçado que antes eu não era assim, ou pelo menos pensava que não.
E assim meio sem perceber vou descobrindo que a cada dia que passa eu me torno outra pessoa dentro de mim mesma.

6 comentários:

Gabriela disse... [Responder]

Que lindo Cissa!!!
As vezes com o decorrer da vida passamos por situações que nos levam a ser mais frias, e acho que isso é um pouco de proteção inconsciente. As experiencias vão modificando nossas atitudes diante das novas situações que aparecem. Talvez isso seja maturidade, se é boa ou ruim? Não sei. Em algumas situações pode ser boa em outras nem tanto...
Beijossss

Fatima disse... [Responder]

Cissa querida, em tudo na vida agimos considerando alguma referencia, mesmo que inconcientemente.No que tange aos sentimentos, o critério não é diferente pode ter certeza.
Temos referencias que a vida nos impõe, pelos fatos acontecidos ou vividos, pela nescessidade, ou puramente por capricho do destino ou do acaso.
Agimos...sorrimos...sofremos ou choramos...somos tocados ou não, regidos pelo grau dessas imposições a que já fomos submetidos.
Sua capacidade de "emoções" existe latente em seu interior, vista com nitidez em seus textos, no seu jeito gostoso de ser, na reciprocidade das suas relações, somente está sobre forte controle, e creio que vigiado com rigor. Aí
reside sua segurança e seu poder.
Entendemos, vemos e amamos você muito, mesmo negando ou fingindo que não chora !! !
Beijos repletos de admiração e emoção nesse coração de mulher forte porém com pitadas de insegurança e infantilidade.

Bárbara disse... [Responder]

Cissa,

eu sou uma chorona declarada, choro por tudo, acho que o choro lava a alma...

bjs
Bárbara

Anônimo disse... [Responder]

Sabe Cissa as vezes acho que sou assim também!Mas acredito que não chorar não significa que não tenha sensibilidade ou sentimentos,e sim que talvez certas coisas que nos acontecem nos fazem ficar "impermeáveis" a certas situaçôes.Isto tudo implica em maturidade, vivência e não somente a falta de sentimentos!
Tenho certeza de que vc não precisa chorar para se sentir feliz
ou triste por algo que aconteceu a vc ou aos outros!Pelo que percebo vc é sim muito sentimental!!
Então pra que chorar??
É só mais uma forma de expressão!
A propósito me pego sempre chorando por nada, e quando algo acontece não derrubo uma lágrima.
Se é uma defesa ou não, quem pode saber, talvez Freud, mas acho que é a forma que cada pessoa tem de "lidar" com as coisas.
Amei seu texto , bjos Erika

celia disse... [Responder]

Cissa muito lindo!
Que texto! Chorar faz muito bem, também sou uma chorona, como disse a Barbara lava a alma , acho que até nos fortalece.
Bjos
Tia Celinha

Scylla disse... [Responder]

Ai Cissa... você é VOCÊ MESMOOOO!!! E por isso é tão especial!!! Te adoro, lindaaa!!!!















LinkWithin

Related Posts with Thumbnails